fbpx
Banner EPE BH
Slider

Eu sou Bianca Solléro,  psicóloga (CRP 04/45989) e arteterapeuta junguiana desde 2011, também graduada em Licenciatura das Artes Visuais pela faculdade de Belas Artes da UFMG (2008), com aperfeiçoamento em Gestão de Pessoas pela FGV (2014).

Mesmo antes de entrar na faculdade eu já atuava em projetos que dialogavam Criatividade e Desenvolvimento Humano. São, portanto, mais de 20 anos incorporando práticas e estudos debruçados na percepção da manifestação criativa como forma de realização autêntica do indivíduo, em seus diversos contextos.

Hoje, atuo especialmente na clínica (consultório online) guiando processos terapêuticos individuais e jornadas grupais com foco em autoconhecimento através da criatividade.

Conversas com relevantes nomes da mídia nacional:

– clique na imagem para acessar os conteúdos –

Conversei com Daiana Garbin sobre saúde mental para a campanha da Libbs farmacêutica (@FalarPodeMudarTudo)
Conversei com Fernando Rocha sobre Arteterapia e caminhos de realização no seu podcast.
Participei deste rico encontro sobre pessoas multipotenciais com Cris Guerra e Marcelle Mendes.

Terapia: espaço de encontro com sua própria natureza

Sala

É deste cantinho especial que te recebo para uma terapia individual ou um processo grupal, através de plataformas virtuais – em que te guiarei por um caminho auto-criativo.

icone01

AutoCriativo - como assim?

Faço uso dessa expressão com intuito de evidenciar o meu papel ao seu lado: facilitar sua jornada de autoconhecimento, ampliando seus potenciais criativos (através da arte, da escrita, de contos ou de imaginações guiadas) para você perceber-se capaz e responsável por “assinar” sua própria existência.

Processo Terapêutico em Ciclos

Conhecer-se para “auto-criar-se” inclui, necessariamente, um processo. Não é algo que possa ser concluído num espaço curto de tempo e suspeito que seja, de fato, infinito.

Todavia, minha colaboração como psicóloga e arteterapeuta neste seu processo não precisa (nem deve) ser infinita.  Ao mesmo tempo, te encontrar em somente uma ou duas sessões não nos permitirá perceber algum alcance.

Por isso, desenvolvi uma metodologia cíclica, que pressupõe que o nosso trabalho, junt@s, seja composto por no mínimo seis sessões.

O que é Arteterapia?

A arteterapia é uma modalidade terapêutica que faz uso de expressões gráficas, criativas, artísticas para conduzir processos mais leves de autopercepção.

Não é preciso ser nenhum artista para fazer arteterapia. Pelo contrário! Aqui, a preocupação com o resultado estético nem deve existir. Muitas vezes, é a troca gestual e energética que fazemos com um papel, uma tela ou a argila, através de ferramentas diversas como giz, pincéis, lápis ou espátulas, que alcançamos insights poderosos sobre a nossa busca particular.

É ainda mais fantástico perceber como a arteterapia nos possibilita elaborar questões íntimas mesmo sem passar pela expressão oral.

Jornadas Arteterapêuticas

Eu desenho uma jornada arteterapêutica exclusiva para você dentro de um ciclo de 6 (seis) sessões. Nós conversamos por 20 minutos para eu entender sobre sua demanda e então customizar o seu caminho.

Além disso, ofereço a Jornada AutoCriativa – que é um processo grupal (limitado a 12 vagas e somente 4 turmas anuais) composto por 7 encontros ao vivo e um kit de materiais exclusivos, produzidos por mim.

Caminho de individuação

“Torna-te quem tu és”- eis uma pequena frase que define o que é um “caminho de individuação”.

Meu trabalho consiste em te dar as mãos nesta trilha e ser parceira empática, confidente e segura desta sua busca.

Com criatividade, alcanço diferentes maneiras de te sensibilizar a tomar as rédeas de sua própria realização.

“Reflexões autocriativas com pipoca” é um evento em que destaco aspectos da Individuação através dos filmes. O primeiro foi sobre “Moana”e você pode ter acesso clicando na imagem abaixo.

O meu livro “Pare de perguntar o que seu filho vai ser” traz algumas reflexões sobre como educadores podem facilitar o caminho de realização autêntica das crianças. Na versão instalivro, conecto estas reflexões à prática da autoeducação através de lives vivenciais.